Segunda rodada de negociação

CAMPANHA S SINTRAE 1

No dia 16 de março, o SINTRAE-MS (Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino do Estado de Mato Grosso do Sul) rejeitou a proposta patronal de reajuste salarial de apenas 2% em março, acrescido de 1% a partir de agosto - aos professores, auxiliares administrativos e auxiliares de serviços gerais das escolas e universidades particulares da base do sindicato.

A proposta foi apresentada pela comissão negociadora do Sinepe-MS (Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Mato Grosso do Sul), em reunião on-line para negociação da Convenção Coletiva de Trabalho 2022/2023. “Esse mísero percentual empobrece os padrões de sobrevivência diante das altas nos preços do mercado de consumo, isso nos ofende como trabalhadores de educação privada”, destaca o presidente do SINTRAE-MS, professor Ricardo Fróes.

Reajuste Salarial

O SINTRAE-MS defendeu a reajuste de 100% inflação do período, ou seja, 10,8% conforme o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) somado a 3,11%, totalizando 13,91. Conforme reivindicado pela categoria em Assembleia Geral.

“Foi vergonhoso, os trabalhadores estão comparando o valor da proposta patronal com migalhas, tendo em vista os exorbitantes lucros de grande parte das instituições de ensino do setor privado.  Os profissionais, que tanto se dedicam no cotidiano escolar, merecem um reajuste digno. Mas, as negociações continuam, a próxima mesa está agendada para o dia 22 de março e continuaremos empenhados pela categoria”, explica o professor Ricardo Fróes.

É hora de Mobilizar!

O presidente ressalta aos trabalhadores do ensino privado que é momento de mobilização: “Já ajuizamos ação judicial para assegurar a data-base já que nem esse direito o patronal concordou, esta atitude já demonstra o descaso com a nossa categoria. Participe, este é momento de suma importância, apoie o Sintrae-MS para conquistarmos pelo menos a reposição integral da inflação. Para isso, precisamos mostrar nossa força”.

Divulgue

Compartilhe as notícias do SINTRAE-MS para que trabalhadores da educação privada, pais de alunos e sociedade acompanhem nossas negociações. Envie sugestões e principalmente, participe das Assembleias”.