Campanha Salarial 2023

assembleia sintrae

No dia 10 de dezembro, a categoria do Ensino, setor privado, da base do Sintrae-MS, reuniu-se em Assembleia e deliberou sobre a Pauta de Reivindicações 2023/2024 que será defendida pelo sindicato na Campanha Salarial 2023.

Por unanimidade, foi aprovada a reivindicação de reajuste salarial no valor de 100% da inflação do período da data-base, 1º de março, acrescido de mais 1% de ganho real.

O presidente do SINTRAE-MS, professor Ricardo Fróes enfatiza que a categoria não aceita perdas. “Passamos por períodos difíceis nos dois últimos anos, com a Covid-19 e seus reflexos, todos os profissionais foram resilientes com o período delicado, mas agora não há possibilidade de recuarmos, as mensalidades escolares aumentaram, os profissionais também precisam do aumento em seus salários, também possuem suas responsabilidades financeiras”, enfatiza o professor.

Reivindicações
Além das cláusulas econômicas, na Assembleia também foram elaboradas cláusulas sociais. O documento será encaminhado aos representantes patronais, “a partir daí deve ser agendada a nossa primeira rodada de negociação”, explica o presidente do Sintrae-MS.

Fonte: Assessoria de Imprensa SINTRAE/MS

Negociação Salarial 2022

 SINTRAE

No 26 de abril, o SINTRAE-MS (Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino do MS) e SINEPE-MS (Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do MS) firmaram a Convenção Coletiva de Trabalho 2022/2023. O reajuste linear conquistado foi de 8%. Já para os profissionais que recebem conforme o Piso Salarial, o reajuste será de 10,8%. Haverá parcelamento conforme abaixo:

Reajuste Linear

Para todos profissionais, incluindo Pisos Fundamental II, Médio, Cursos Livres e Superior: Reajuste de 8%, sendo: 5% retroativo a março e 3% em setembro.

Pisos Salariais

*A e B (Educação infantil e fundamental I) reajuste de 10,8%, sendo:

-5% retroativo a março, 3% em setembro + 2,8% em janeiro de 2023

*G, H e I: (Auxiliar Administrativo, Aux. Docente e Serviços Gerais) reajuste de 10,8%, sendo:

-Retroativo a Março (sem parcelamento)

Justiça

O presidente do SINTRAE-MS, professor Ricardo Fróes destaca que neste ano as negociações foram marcadas por impasse. “Nossa diretoria foi enérgica, garantimos o reajuste de 8% diante de muita firmeza e rejeitamos propostas que rebaixavam nossa categoria. Buscamos a justiça do trabalho para assegurar a data-base que os patronais negaram-se a assinar, ou seja, conquistamos a vitória judicial que foi muito importante porque sem esse benefício não teríamos a retroatividade nos reajustes.

Participe

O SINTRAE-MS mais uma vez destaca que é preciso mobilizar. “Conclamamos aos trabalhadores que desde já comecemos a nos preparar para a nossa próxima Campanha Salarial, precisamos de participação, da voz de cada trabalhador e trabalhadora, para isso envie mensagens, visite nossa sede e participe dos nossos chamados para Assembleias. Nossa diretoria é ativa, combatemos firme por melhorias, mas, juntos, nossa força é muito maior”, destaca Ricardo Fróes.

 

CAMPANHA S SINTRAE

A terceira rodada de negociação entre o Sintrae-MS e Sinepe-MS mais uma vez foi marcada por embate. Desta vez, os patrões ofereceram 3% de reajuste a partir de março, acrescido de 2% em setembro. A proposta foi repelida pela Comissão negociadora do sindicato dos trabalhadores.

O presidente do SINTRAE-MS, professor Ricardo Fróes, criticou. “Nenhum avanço em relação ao que foi apresentado anteriormente, esse percentual nos ofende, é um índice que desqualifica o trabalhador do ensino do setor privado. Nossa Comissão Negociadora rechaçou essa mísera proposta”, destaca.

Reposição Inflacionária

A Comissão do SINTRAE-MS apontou que diante da difícil situação de sobrevivência, nos dias atuais, é justo que os profissionais recebam pelo menos o direito da reposição salarial do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), 10,8%, abrindo a possibilidade do parcelamento do valor.

“Queremos negociar a partir do índice inflacionário do período, mas nos deparamos com a resistência dos representantes patronais que apesar de muito elogiar os profissionais, afirmaram não ter condições de chegar ao índice, nem mesmo parcelado. No entanto, destacamos os trabalhadores não querem só elogios, estes não ajudam nas contas mensais. A categoria não tem condições de abrir mão de um direito que faz muita diferença para a sobrevivência de sua família”, destacou.

Intermediação

O SINTRAE-MS afirmou que se essa postura de intransigência da parte patronal continuar, irá procurar a intermediação da justiça do trabalho. “Já temos uma ação judicial para assegurar a data-base da categoria, tendo em vista a negativa do Sinepe-MS em conceder o direito. Se as negociações não avançarem, vamos buscar todos os meios jurídicos possíveis para defesa dos direitos dos trabalhadores.

Próxima Rodada de Negociação

Uma nova reunião foi marcada para o dia 08 de abril.

 

CAMPANHA S SINTRAE

No dia 16 de março, o SINTRAE-MS (Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino do Estado de Mato Grosso do Sul) rejeitou a proposta patronal de reajuste salarial de apenas 2% em março, acrescido de 1% a partir de agosto - aos professores, auxiliares administrativos e auxiliares de serviços gerais das escolas e universidades particulares da base do sindicato.

A proposta foi apresentada pela comissão negociadora do Sinepe-MS (Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Mato Grosso do Sul), em reunião on-line para negociação da Convenção Coletiva de Trabalho 2022/2023. “Esse mísero percentual empobrece os padrões de sobrevivência diante das altas nos preços do mercado de consumo, isso nos ofende como trabalhadores de educação privada”, destaca o presidente do SINTRAE-MS, professor Ricardo Fróes.

Reajuste Salarial

O SINTRAE-MS defendeu a reajuste de 100% inflação do período, ou seja, 10,8% conforme o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) somado a 3,11%, totalizando 13,91. Conforme reivindicado pela categoria em Assembleia Geral.

“Foi vergonhoso, os trabalhadores estão comparando o valor da proposta patronal com migalhas, tendo em vista os exorbitantes lucros de grande parte das instituições de ensino do setor privado.  Os profissionais, que tanto se dedicam no cotidiano escolar, merecem um reajuste digno. Mas, as negociações continuam, a próxima mesa está agendada para o dia 22 de março e continuaremos empenhados pela categoria”, explica o professor Ricardo Fróes.

É hora de Mobilizar!

O presidente ressalta aos trabalhadores do ensino privado que é momento de mobilização: “Já ajuizamos ação judicial para assegurar a data-base já que nem esse direito o patronal concordou, esta atitude já demonstra o descaso com a nossa categoria. Participe, este é momento de suma importância, apoie o Sintrae-MS para conquistarmos pelo menos a reposição integral da inflação. Para isso, precisamos mostrar nossa força”.

Divulgue

Compartilhe as notícias do SINTRAE-MS para que trabalhadores da educação privada, pais de alunos e sociedade acompanhem nossas negociações. Envie sugestões e principalmente, participe das Assembleias”.

juridico sintrae 1

As negociações salariais 2022 já começaram e permeado por embate. Os representantes do sindicato patronal Sinepe (Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino de MS) negaram-se em assinar a garantia da Data-Base da categoria que é 1º de março. Para proteger o direito dos profissionais, o SINTRAE-MS(Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino de MS)  recorreu à justiça do trabalho, ajuizou ação para garantir o direito do benefício.

O presidente do SINTRAE-MS, professor Ricardo Fróes, criticou a conduta patronal. “Uma atitude lamentável, tendo em vista que a data-base é de suma importância porque as cláusulas que forem negociadas na Convenção Coletiva de Trabalho 2022/2023 devem ser retroativas a 1° de março de 2022, ou seja, passa a valer a partir desta data, mesmo que as negociações terminem em outros meses”, destaca.

A Comissão Negociadora do SINTRAE-MS (composta pelo professor Ricardo Fróes, professor Eduardo Botelho, professor Pedro Domingues e professora Rita de Cássia) apontou que sem a data-base, as entidades patronais poderiam prorrogar as negociações ao máximo promovendo perdas sem a retroatividade. “É preciso que os trabalhadores sejam valorizados e tenham seus direitos respeitados”, destaca o profº Eduardo.

Negociações Salarias 2022

O SINTRAE-MS conclama a todos os trabalhadores para que participem, seja por Assembleias presenciais/ virtuais ou mesmo por sugestões e compartilhamento das notícias e postagens. É hora de mobilizar, precisamos

CAMPANHA SALARIAL SINTRAE Post para Facebook

A primeira rodada de negociação salarial entre o SINTRAE-MS e o sindicato patronal já tem data definida, será no dia 23 de fevereiro (quarta-feira), período vespertino, por meio de reunião on-line.

O presidente do SINTRAE-MS, professor Ricardo Fróes, explica que defenderá as reivindicações da categoria, elaborada em Assembleia que ocorreu no final de 2021.

“Defenderemos cláusulas econômicas e sociais, vamos em busca do reajuste salarial e valorização dos profissionais do ensino privado do MS”, destaca o presidente.

A data base da categoria é 1º de março.

 

CAMPANHA SALARIAL SINTRAE

No dia 11 de dezembro, aconteceu Assembleia Geral dos Trabalhadores da base do SINTRAE-MS (Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino do Estado de Mato Grosso do Sul). A categoria articulou-se sobre a Campanha Salarial 2022, elaborou a Minuta de Reivindicações e deliberaram questões administrativas para fortalecimento do SINTRAE-MS.

O presidente, professor Ricardo Fróes, destacou a crise que o país tem enfrentando, em relação à política, economia e saúde. "Os reflexos recaem diretamente sobre os trabalhadores. Nós da educação, fomos muito penalizados a começar pela sobrecarga de trabalho, mas, apesar de tudo demos o nosso melhor. É preciso valorizar nossa categoria e buscaremos isso, por meio das negociações salariais, em busca de reajuste com ganho real", enfatiza.

Campanha Salarial
Em Assembleia, os trabalhadores apontaram as principais necessidades a serem defendidas em mesa de negociação, Desta forma, elaboraram e aprovaram a Minuta de Reivindicações. foi entregue na manhã do dia 15 de dezembro ao sindicato patronal.

A data-base dos trabalhadores do ensino privado é 1º de março. Acompanhe todas as notícias pelo site www.sintraems.org.br e redes sociais @sintraems.

Fortalecimento do sindicato
Outra relevante articulação, foi a sobrevivência do sindicato e manutenção do Clube de Campo. Fróes destacou que o fim da contribuição sindical, a reforma trabalhista e crise sanitária da Covid-19 afetaram a questão financeira do sindicato. "É importante que os trabalhadores sindicalizem-se, para mantermos nosso sindicato aberto, temos uma base grande e se unirmos nossas forças, fortaleceremos nossa categoria".

Há mais de 10 anos, o SINTRAE-MS manteve o valor de mensalidade associativa no percentual de 1,5% do salário, com teto de 60 reais. Na Assembleia, foi aprovado por unanimidade o reajuste, que passará para percentual de 2%, com teto de 70 reais. "Temos um grande legado, construímos um clube, uma sede ampla que é o espaço dos profissionais do ensino privado, estamos aqui diariamente para atender os trabalhadores. Para manter toda essa estrutura, precisamos de organização e recursos. Com a Covid, tivemos que fechar o clube por muitos meses, recentemente enfrentamos prejuízos com queimadas que aconteceram em volta do sindicato e danificaram fios e equipamentos. Enfim, contamos com os trabalhadores para manter nosso sindicato de portas abertas", explica o presidente.

Negociações 2021

NaoReajusteZero

negociacao2021

neg2021 1

 

Trabalhadores do Ensino privado articulam-se para Convenção Coletiva 2021

 neg2021

No dia 05 de dezembro, aconteceu a Assembleia Geral Extraordinária, na sede do SINTRAE-MS para deliberações acerca das negociações salariais 2021. Os trabalhadores definiram a Pauta de Reivindicações que será defendida em negociação com os representantes patronais, visando firmar a Convenção Coletiva de Trabalho 2021/2022.

A Pauta elaborada em Assembleia, propõe manutenção das cláusulas sociais vigentes retroativas a março de 2020. Em relação às cláusulas econômicas, os trabalhadores reivindicam a reposição da inflação do período - 100% do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) -acrescidos de 0,5% de ganho real, sobre os pisos salariais e salários em geral da categoria. A data-base é 1º de março.

Acompanhe as próximas informações pelo site www.sintraems.org.br e redes sociais.

 

 

assembleia2020

Negociações 2020

Negociação Salarial 2020 começou:

neg2020

 1º rodada aconteceu no dia 10 de março

No dia 10 de março, aconteceu a primeira rodada de negociação entre o SINTRAE-MS e SINEPE-MS referente aos reajustes salariais dos trabalhadores do ensino privado, data-base 1º de março.

A comissão negociadora do SINTRAE-MS foi composta pelo presidente professor Eduardo Botelho e diretores: Pedro Domingues, Ricardo Fróes e Teodorico Fernandes.

Uma próxima reunião foi agendada para o dia 19 de março, com objetivo dar continuidade às negociações, tendo em vista que na primeira mesa ocorreu discordância entre os representantes laboral e patronal  quanto ao índice para o aumento salarial.

A comissão negociadora dos trabalhadores defendeu a categoria, destacando que diante do atual cenário, a crise econômica bate primeiro na porta dos trabalhadores que sentem os impactos dos aumentos dos produtos e serviços de consumos básicos. Além disso, destacaram que não aceitarão perdas para  os trabalhadores do ensino privado.

 

Firmado índice de reajuste salarial 2020

No dia 19 de março, o SINTRAE-MS e SINEPE-MS firmaram Acordo Aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho 2020.

reajuste2 mesa

O presidente do Sintrae-MS, professor Eduardo Botelho e diretores Ricardo Fróes, Pedro Domingues e Rita de Cássia Ribeiro representaram os trabalhadores.

Reajuste Salarial

O Termo Aditivo firmado prevê reajuste salarial linear - também dos pisos salariais -  no percentual de 100% do índice Nacional dos Preços aos Consumidores(INPC): 3,92%.

O professor Eduardo Botelho, destaca que na mesa de negociação anterior, as entidades patronais pretendiam reajustes abaixo da inflação. "Alegando período de crise financeira, o Sinepe iniciou tentando aplicar reajuste de apenas 2% sobre os salários, o sindicato refutou a possibilidade para evitar perdas. Esgotadas as tentativas de negociação, chegou-se a um acordo de 100% da inflação do período", destaca.

O reajuste entra na próxima folha de pagamento. A data-base da categoria é 1º de março. Confira aqui a nova tabela salarial e o Termo Aditivo assinado.

 

Em Assembleia, categoria dá início à Campanha Salarial 2019

campanha salarial 2019

No dia 08 de dezembro, os trabalhadores da base sindical do Sintrae-MS participaram de Assembleia Geral, na sede administrativa.  Após diálogo e análises dos dados inflacionários do país nos últimos meses, foi deliberado e aprovado o índice de reajuste salarial a ser defendido pelo sindicato nas mesas de negociação: Reposição do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) + 3% .

O presidente do Sintrae-MS, professor  Eduardo Botelho, destaca que em relação às cláusulas sociais, o sindicato garantiu que até fevereiro de  2021 a categoria esteja resguardada das perdas advindas da Reforma Trabalhista. “Desde 2017, nós asseguramos que os direitos dos professores, auxiliares docentes, auxiliares administrativos e auxiliares de serviços gerais não fossem prejudicados pela Reforma Trabalhista, firmando essas cláusulas pelo período de 4 anos. Essa continuará sendo nosso luta, sempre na defesa da categoria”, destaca.